Vegetarianismo e Veganismo

O vegetarianismo 

É uma opção alimentar que exclui todos os tipos de carne (incluindo aves, peixes e outros animais marinhos).

veganismo para além da carne exclui todos os alimentos de origem animal, como os lacticínios, os ovos e o mel.

Não devemos pensar que estes sistemas alimentares são limitados, uma vez que é baseada numa grande variedade de alimentos deliciosos e saudáveis.

É uma porta para novas texturas e sabores.

Inúmeros pratos étnicos são vegetarianos, e muitos pratos tradicionais podem ser adaptados ao vegetarianismo.

A maior parte das pessoas torna-se vegetariana para evitar a morte e dor desnecessária nos animais, enquanto outras tornam-se vegetarianas por outros motivos: ambientais, de saúde, espirituais, religiosos ou humanitários

 

Uma prática milenar

O vegetarianismo tem sido praticado por muitos indivíduos, povos e grupos ao longo dos séculos, e em muitas partes do mundo.

Antes de ter aparecido a palavra “vegetariano”, o vegetarianismo era conhecido como regime vegetal.

A primeira Sociedade Vegetariana apareceu em 1847, na Inglaterra, e logo depois apareceram em todo o mundo. A primeira Sociedade Vegetariana de Portugal surgiu em 1911.

Uma alimentação mais ecológica.

A alimentação vegetariana causa menos poluição e gasta muito menos recursos para ser produzia do que uma alimentação com produtos animais. Por exemplo, são necessários entre 3 e 10 quilos de cereais para se produzir apenas um quilo de carne.

Segundo um relatório da FAO (Agência para a Alimentação e Agricultura das Nações Unidas), a pecuária é responsável por 18% das emissões dos gases causadores de efeito de estufa  (uma percentagem maior do que a do sector dos transportes). Por outro lado, a pesca está a levar as espécies marinhas à extinção, e a piscicultura polui a água, o solo e a atmosfera. Se se continuar a pescar ao ritmo actual, todas as espécies ditas comerciais terão desaparecido em 2050.

Vegetarianismo e a saúde.

Uma dieta à base de alimentos de origem vegetal traz quase sempre benefícios para a saúde, porque fornecem nutrientes fitoquímicos (compostos, que se encontram apenas nas plantas, podem reduzir o risco de doenças cardíacas e cancro), fibras (não existem nos produtos animais e que estão associadas a um risco mais reduzido de cancro, doenças cardíacas e obesidade), e nutrientes que podem estar relacionados com um menor risco de doenças crónicas, como o ácido fólico, o potássio, e as vitaminas C e E.

Há evidências de que os vegetarianos têm níveis sanguíneos de colesterol mais baixos do que as pessoas que comem carne, e que os veganos têm níveis ainda mais baixos.

Os veganos têm ainda a melhor taxa de colesterol HDL.

Estudos recentes mostram que os vegetarianos têm tensão arterial mais baixa do que os omnívoros, e há dados que indicam que os veganos têm tensão arterial mais baixa do que os ovo-lacto-vegetarianos.

Ser vegano pode ser uma forma de controlar o colesterol elevado, diabetes e pressão arterial alta, sendo que os veganos têm menos hipóteses de sofrerem ataques de coração.
Os veganos podem facilmente obter toda a proteína necessária ao consumir leguminosas (feijões, grão-de-bico, lentilhas, produtos de soja, amendoim), quinoa, sementes de abóbora, pistachos, caju e seitan.

Os veganos (tal como alguns ovo-lacto-vegetarianos) precisam de consumir suplementos ou alimentos fortificados com vitamina B12 mas, acabam por estar em vantagem porque tem de estar atentos à ausência desta vitamina quando muitos comedores de carne têm deficiência.

ADA (Associação Dietética Americana)  defende que as dietas vegetarianas bem planeadas são apropriadas em qualquer fase do ciclo da vida.

A maior parte das crianças vegetarianas são-no por influência dos pais, mas também há casos de algumas que se recusam a comer carne ou peixe por iniciativa própria. Em ambos os casos, a dúvida surge: e na escola, como vai ser?

É certo que a maior parte dos estabelecimentos não disponibiliza refeições vegetarianas, também é verdade que a situação tem vindo a mudar nos últimos anos e já encontramos nutricionistas integrados nas equipas escolares e introduzem alguns pratos vegetarianos nas ementas.

Algumas escolas, revelam essa abertura e correspondem à solicitação dos pais. Quando a opção vegetariana não é possível, é dada a hipótese de o aluno levar a refeição de casa.

O assunto em Portugal é tão atual que em março deu entrada na Assembleia da República uma petição pela inclusão de opções vegetarianas em todas as cantinas públicas, universidades e hospitais do país.

Apropriado para atletas

As dietas vegetarianas e veganas, são apropriadas para atletas, podendo inclusive trazer diversos benefícios. 

Vegetarianos famosos

São também inúmeros os vegetarianos famosos, desde a Antiguidade até aos dias de hoje, entre eles Antoni Gaudí, Emily Deschanel, Leon Tolstoi, Leonardo da Vinci, Leona Lewis, Mike Tyson, Morrissey. 

Número de vegetarianos a aumentar

O vegetarianismo tem estado a crescer no Mundo inteiro. Segundo uma estatística feita para o Centro Vegetariano em 2007, havia 30.000 vegetarianos em Portugal.

O Google confirmou recentemente que há cada vez mais pessoas a procurar informação relacionada como o veganismo.

Quem quer começar a seguir uma dieta vegetariana, o que deve fazer?

Como convencer uma criança a comer vegetais?

É mais fácil do que se pensa.

Experimenta pratos vegetarianos reforçando o consumo de legumes, leguminosas e outros alimentos proteicos, como o tofu e o seitan;

Envolve os outros elementos da família para melhorar os hábitos alimentares de todos;

Adquire noções básicas sobre a forma combinar os alimentos e planear as refeições,para sejrem equilibradas e completas;

Optando por uma alimentação 100% vegetariana, tens de ter em consideração o reforço da vitamina B12;

Cozinha leguminosas em grande quantidade e tem as sempre congeladas para estarem prontas para qualquer receita;

Recorre, a legumes e frutos congelados;

Procura fazer a versão vegetariana dos seus pratos favoritos;

Usa tofu e seitan para refeições rápidas, são fáceis de adaptar aos pratos tradicionais. No Pingo Doce, alguns destes produtos estão disponíveis frescos;

Pode preparar sobremesas saudáveis sem açúcar, recorre a diferentes tipos de farinhas (tenho receitas com videos aqui no blog), frutos e adoçantes naturais, como as tâmaras;

Prepara pratos coloridos e atractivos e procura diversificar as refeições para não cansar. Fica recetiva a novos produtos e sabores, e às boas ofertas no Pingo Doce.

Custos da alimentação Vegetariana

Um dos factores que dizem ser uma desvantagem da alimentação vegetariana é o facto de ser caro. No entanto, não corresponde à realidade porque a alimentação vegetariana não tem, necessariamente, de ser mais cara que uma alimentação omnívora.

 

Refeições

Um vegetariano quando inclui em todas as suas refeições alimentos pré-feitos como salsichas de soja, almôndegas de soja e hambúrgueres de tofu, corre o risco de gastar mais que alguém que come carne em vez desses pré-feitos.

Um vegetariano não precisa desses alimentos pré-feitos para ter uma alimentação saudável e completa.

Vegetais, frutas, cereais e leguminosas, são alimentos importantes na alimentação (vegetariana ou não-vegetariana), são todos baratos se comparados com o preço de carne e peixe.

Frutos oleaginoso  (nozes, amêndoas, avelãs, por exemplo) são mais caros, mas também são mais caros para não vegetarianos.
Se um vegetariano quiser comer alimentos parecidos com os que comia antes da mudança de alimentação não tem de gastar dinheiro em pré-feitos (incluindo leites vegetais), pode poupar ao fazer esse tipo de alimentos em casa havendo muitas receitas neste blog!

Para terem uma ideia, imaginemos um cenário em que alguém substituí 800 gramas de carne de porco (digamos, bifanas) que consome ao longo do dia, pela mesma quantidade de uma leguminosa, digamos, por feijão vermelho enlatado (marca mais cara, latas mais pequenas), ao folhear um panfleto de um supermercado, vejo que as bifanas estão a 3 €/kg, e online encontro no site do Pingo Doce os feijões a 1,94 €/kg.

Ao fazer contas, esta pessoa iria poupar 243€ por ano! É de apontar que este valor aumentaria se a pessoa comprasse latas maiores da marca Pingo Doce.

Suplementos

Neste tipo de alimentação os suplementos alimentares são essenciais.

Quem questionar se os suplementos não se podem tornar um peso no orçamento mensal. A vitamina B12 (obrigatório para um vegano) e iodo, custa 3,41€ e 1,15€ por mês, respectivamente, o que não é nada caro.

Em Portugal, o interesse por uma alimentação vegetariana mantém-se e devido ao contexto social, cultural e económico, as motivações são ainda mais para aderir a este estilo e a transição está mais facilitada e acessível a todos.

Boas Escolhas!

Sobre susanasilva 134 artigos
Sou a Susana, sou casada e tenho 2 filhos, um casal. Moro em Mafra mas sou do Porto. Pensei em criar este blog a pedido de amigos que gostam do que cozinho. Gosto de cozinhar mas não gosto de perder tempo na cozinha. Gosto de refeições fáceis, rápidas, saborosas e para além disso, que não sejam dispendiosas. Quero mostrar que as marcar brancas dos supermercados para além de serem mais baratas são tão boas ou melhores que as de marca própria. Compro tudo o que é possível de marca branca, experimentei os produtos de todos os supermercados, fiz comparações e sei quais os melhores produtos. Cozinho de tudo e como de tudo, o que ajuda.

Seja o primeiro a comentar

Escreve o teu comentário